Notícias

Veja as novidades sobre a Mediação Imobiliária e alguns conselhos que poderá usar na altura de compra, aluguer ou venda do seu imóvel.

9 dicas para os jovens conseguirem atingir a independência financeira

Neste Dia Mundial da Poupança ensinamos-te a criar métodos de poupança e gestão mantendo estilo de vida agradável, mas sem gastos desmedidos.

A independência financeira pode parecer um conceito utópico, mas a verdade é que se um jovem definir os seus objetivos desde cedo é possível de atingir. No entanto, para chegar a um objetivo destes é necessária uma vida regrada com alguns sacrifícios e a nível de hábitos de poupança. Hoje, dia 31 de Outubro, celebra-se o Dia Mundial da Poupança e nada como aproveitar para falar na importância da literacia financeira, neste caso, na vida dos mais jovens, dando um conjunto de dicas.

O conceito de independência financeira, tal como explica o Doutor Finanças neste artigo preparado para o idealista/news, passa por teres rendimentos passivos suficientes, através de rendas ou lucros de investimentos/negócios, sem teres que depender do teu trabalho. Explicando de uma forma mais simples, se ficasses desempregado, os teus investimentos garantiam uma renda que faria face às tuas despesas, sem que tivesse que mudar o teu estilo de vida.

Numa fase em que as despesas da habitação são suportadas na sua maioria pelos pais, é fundamental criar métodos de poupança e de gestão que permitam ter um estilo de vida agradável, mas sem gastos desmedidos. Se definires regras, métodos e orçamentos irás conseguir poupar bastante dinheiro que poderás investir futuramente.

Dicas para planear e gerir o dinheiro de forma a atingir a independência financeira
Define um orçamento e cumpre-o à risca
Definir um orçamento familiar, que no caso dos jovens em casa dos pais passará por um orçamento a nível individual, é o primeiro passo para começares a gerir bem o teu dinheiro. Ao criares o teu orçamento deves indicar o teu rendimento mensal e o valor das despesas essenciais à tua vida. Veja que despesas são essenciais, se existem despesas que podem ser renegociadas ou até cortadas na sua totalidade.

O teu objetivo deve passar por poupar ao máximo, mas deves definir valores realistas. Se gostas de sair para conviver uma vez por semana com os teus amigos, deves colocar essa despesa no teu orçamento. Lembra-te que o orçamento deve ser feito com base na qualidade de vida que pretendes manter. Caso não o faças terás problemas a cumprir o teu orçamento à risca.

Deixamos aqui um exemplo: se ganhares cerca de 700 euros já com descontos e respetivos subsídios, poderás com algum esforço conseguir poupar metade desse valor mensalmente. Faz as contas das tuas despesas essenciais que podem passar por telecomunicações, despesas de transportes, subscrições que tenhas feito, ginásio, despesas de saúde, alimentação, e despesas extras que queiras manter.

Se conseguires poupar 350 euros, no final de 12 meses ficas com uma poupança de 4200 euros. Caso permaneças em casa dos seus pais por quatro anos consegue uma poupança de quase 17 mil euros.

Prepara as tuas refeições em casa
Ao preparares as tuas refeições em casa vais evitar os gastos diários em cafés e restaurantes. Podes começar por, à noite, deixares o seu almoço preparado e separares comida para os lanches diários. Aproveita e toma o pequeno almoço em casa para não teres a tentação de comprar algo pelo caminho.

Pode parecer complicado no início, mas gerir bem os gastos com a comida permite poupar um valor significativo mensalmente. Por norma esta dificuldade acaba por desaparecer assim que passa a fazer parte da tua rotina diária. Uma alteração na rotina pode demorar cerca de 66 dias até se tornar num hábito, por isso sê persistente nos dois primeiros meses.

Opta por andar de transportes públicos ou de bicicleta
Ir para o trabalho de carro é uma despesa grande que acaba por retirar parte da poupança pensada para o mês. As despesas com os combustíveis, portagens, parquímetros, entre outras, acabam por não ajudar quando temos o objetivo de amealhar uma quantia significativa do nosso ordenado.

Cria um fundo de emergência para não precisares de utilizar um cartão de crédito
Embora o cartão de crédito tenha inúmeras vantagens se for usado de forma consciente e regrada, nesta fase da vida deves evitar o seu uso, a menos que tenham um objetivo definido para a sua utilização. Caso utilizes um cartão de crédito, paga sempre o valor dentro do prazo estabelecido para evitares a cobrança de juros.

Em vez de usares um cartão de crédito para uma despesa inesperada, cria desde o início um fundo de emergência para essas despesas. Enquanto vives em casa dos seus pais não tens a necessidade de colocar valores tão elevados nesse fundo. No entanto é essencial que tenhas o teu próprio fundo de emergência para um imprevisto que possa acontecer.

Todos os meses coloca uma percentagem do teu ordenado de parte para o fundo de emergência. Aumenta a mesma consoante as tuas possibilidades. Sabemos que nem sempre é fácil juntar para uma conta poupança e para um fundo de emergência ao mesmo tempo, mas a longo prazo irá compensar bastante. Não te esqueça de colocar o valor para este fundo no teu orçamento, desta forma será mais fácil a gestão de todas as poupanças.

Aproveite as promoções e saldos para as compras extras que precisas fazer
Depois de estares a poupar o teu dinheiro de forma tão regrada é natural que a determinada altura precises de renovar a tua roupa, calçado ou até o teu smartphone. Contudo estas compras devem ser pensadas com alguma ponderação. Em primeiro lugar verifica o que realmente te faz falta e, para não caires no erro fazeres compras por impulso, utiliza a regra dos 10 segundos. Em segundo lugar opta por fazer essas compras em alturas de promoções e saldos de forma a conseguires adquirir bons produtos, por valores mais baixos. Faz uma comparação de preços

online, e dirige-te à loja que tem os melhores preços atualmente. Define um orçamento para essas despesas extras e, em seguida, levanta esse valor. Desta forma estarás a limitar o dinheiro que poderás gastar nessas despesas.

Presentes monetários devem ir para as tuas poupanças
Quando temos o objetivo de atingir a independência financeira existem muitos sacrifícios que temos que fazer pelo caminho. Optar por colocar o valor que recebes, por exemplo, no teu aniversário e no natal na sua poupança é um deles.

A possibilidade de adicionar valores extras à tua poupança deve ser vista como um benefício a longo prazo. Se por ano com o teu ordenado consegues juntar 4200 euros, imagina a vantagem de conseguires juntar mais 800 euros a esse valor. Num período de dois anos reúnes o montante de 10 mil euros, o que é um valor significativo para uma poupança de 24 meses.

Esses 800 euros podem ser alcançados se juntares todos os presentes monetários que recebes no teu aniversário, Natal, juntando ainda com uma percentagem do teu subsídio de férias e Natal. É um sacrifício que vale a pena se pensarmos apenas na poupança, mas deves ponderar se é ou não viável para ti, e para a tua qualidade de vida.

Lê sobre finanças pessoais
Temos falado inúmeras vezes sobre a importância da literacia financeira. A educação financeira é muito importante em qualquer idade, mas é essencial para quem tem o objetivo de conseguir alcançar a sua independência financeira. Por isso, lê sobre finanças pessoais e acompanha as tendências económicas. Procura estar atento aos novos produtos e serviços que vão surgindo. Para além disso fica atento às tendências do mercado e procura conhecer os investimentos mais vantajosos.

Cria um plano de investimento a longo prazo
Este é um ponto chave para começares a trabalhar na tua independência financeira. Depois de criares a tua poupança irás precisar de uma estratégia para investir o dinheiro que juntaste ao longo do tempo.

Existem várias possibilidades de investimento, com menos e com mais risco, e todas devem ser bem ponderadas antes de investires as tuas poupanças. Para além disso existe sempre a possibilidade de investires num negócio rentável, que lhe permita a longo prazo passar a gestão a colaboradores de confiança. Desta forma o seu negócio passa a ser um rendimento passivo, onde poderás ir buscar uma renda sem teres que te dedicar a tempo inteiro.

Depois de estares bem informado sobre todos os investimentos que existem, defina os seus objetivos com prazos bem definidos, e crie uma estratégia para os seus investimentos. Todo o investimento deve ser feito de forma diversificada, por isso pondere bem os montantes que irá aplicar em cada investimento.

Fonte ImoLeite: https://www.idealista.pt/news/financas/economia/2019/10/30/41356-9-dicas-para-os-jovens-conseguirem-atingir-a-independencia-financeira (31/outubro/2019)

NÃO PERCA NENHUMA OPORTUNIDADE
Subscreva a nossa Newsletter
Subscreva!

CONTACTE-NOS